Revista Multimídia Ambiental

Pensando em um mundo melhor.

Educação Ambiental: Aspectos gerais e movimentos históricos

Na metade do século 20, várias cidades industrializadas do Ocidente apresentaram, durante o inverno, episódios de smog provocados pela poluição composta de fuligem e enxofre tão graves que a taxa de mortalidade aumentou de forma notável. Por exemplo, em Londres, Inglaterra, em dezembro de 1952 cerca de 4.000 pessoas morreram em poucos dias devido ao aumento na concentração desses poluentes, que se acumularam aprisionados em uma massa de ar que permaneceu estagnada em virtude de uma inversão térmica nas proximidades do solo. As pessoas que foram expostas a um maior risco foram os idosos que já sofriam de problemas brônquicos e as crianças menores. Atualmente, a proibição dos queimadores domésticos a carvão, que davam origem à maioria dos poluentes eliminou tais problemas. Os cientistas ainda não estão certos se o principal agente contendo enxofre que causou problemas tão sérios em Londres foi SO2, gotas de ácido sulfúrico ou de sulfato
O smog fotoquímico, que se origina a partir dos óxidos de nitrogênio, em muitas cidades, é mais importante que o smog baseado no enxofre, particularmente as de grande população e densidade de veículos. Ele consiste de gases, como o ozônio, e de uma fase aquosa contendo compostos orgânicos e inorgânicos solúveis em água na forma de partículas suspensas. Em contraste com os “smogs de Londres”, que são de natureza química redutora devido ao dióxido de enxofre, os smogs fotoquímicos são oxidantes.

Após esta, algumas catástrofes desta natureza aconteceram. O que gerou uma preocupação por estudiosos, com a natureza e com a própria vida humana, levaram a uma nova iniciativa, o ambientalismo. Apesar de se ter uma ONU já estabelecida e digamos uma “pseudo responsabilização” de governos poderosos, continuou sendo descumpridas as leis que dizem respeito poluição nas diversas áreas e a produção nuclear.

Muitas conferências importantes foram realizadas ao redor do mundo, algumas foram decisivas, tal como a Conferência Intergovernamental de Educação Ambiental de Tbilisi – que instituiu o modelo de Educação Ambiental que vigora até hoje. Outras já não surtiram o efeito desejado, a exemplo do Fórum Mundial da Água realizado na Turquia em março deste ano.

A ONU tem uma grande importância neste cenário, já que é ela que regula importantes índices como a taxa de emissão de CO².

No Brasil, o que se tem feito para combater os abusos cometidos ao meio ambiente em relação às leis vigentes podemos observar que a aplicação de leis severas estão sendo cada vez mais levadas em conta – punições de empresas, a preocupação em gerar conscientização de crianças e jovens é muito intensa, as escolas devem provocar os alunos, desde os menores para que eles venham a ter a preocupação em preservar a natureza e os meios naturais. Também gerar esta preocupação na sociedade civil, já que é a grande responsável pela sobrevivência das futuras gerações e a sobrevivência do próprio planeta.

Por Myrian Conôr.

Anúncios
Deixe um comentário »

Madeira cortada ilegalmente é apreendida perto de reserva no Pará

Em seis pontos de estocagem, foram encontradas 370 toras.
Entre as variedades havia castanheira, árvore de corte proibido.

Fiscais do Ibama no Pará apreenderam madeira retirada ilegalmente da floresta amazônica no município de Baião, no nordeste do estado.

Os seis pontos de estocagem de madeira ilegal foram descobertos em uma área distante dois quilômetros de uma unidade de conservação.

São 370 toras amontoadas nas clareiras abertas na floresta, totalizando 1.280 metros cúbicos de madeira. Entre as espécies há melancieira e andiroba. Até três castanheiras estavam entre as árvores derrubadas – a espécie tem corte proibido por lei.

Com a chegada da equipe de fiscalização, as pessoas que trabalhavam no corte conseguiram fugir do local.

A madeira é retirada da área por estradas abertas no meio da floresta. O chão ainda apresentava as marcas das rodas do trator.

O trabalho de fiscalização vai continuar no local pelos próximos dias. Até agora, foram encontrados 1,28 mil metros cúbicos de madeira ilegal. É o equivalente a 80 caminhões carregados.

“Quando nos aproximamos, eles conseguiram abandonar o local. Mas o maquinário está na área e nós vamos fazer a apreensão dela”, disse Cláudio Haydemar, chefe regional do Ibama.

O Ibama ainda não localizou o responsável pela retirada da madeira.

Fonte: Globo Amazônia

Deixe um comentário »

PORQUE É QUE O MODELO DE PÓLO DE CRESCIMENTO NÃO ALAVANCA A PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE FORMA CONCRETA NO PAÍS?

Faz parte de nosso processo evolutivo o ato de modificar a natureza e o meio ambiente. Começamos a fazer pequenas intervenções afim de obter o máximo de recursos que podemos e terminamos gerando fortes impactos ambientais, pois temos sede de explorar sem nenhum tipo de preocupação com o risco que corremos de diminuir ou mesmo extinguir nossos recursos renováveis, e pior os não renováveis. O agravante é que temos a consciência do erro, e simplesmente o ignoramos. O homem perdoa, mas a natureza não!

Atualmente, muito tem se pensado e discutido a respeito das questões climáticas e ambientais. Foram instituídos novas concepções de exploração consciente, o chamado desenvolvimento sustentável que se trata da utilização dos recursos naturais de forma menos agressiva e responsável com comprometimento e ações concretas, estas conseguem também fazer o reaproveitamento de materiais que não seriam mais utilizados e poderiam ser jogados em locais não adequados. Essa concepção social dá origem a belos objetos que aproveitam fibras de couro de peixe, que podem se tornar belas bolsas, sapatos e roupas ou mesmo as fibras de coco que estão virando matéria-prima para a confecção de estofados, inclusive de automóveis.

Contraditoriamente, as empresas que “supostamente” implementaram este novo modelo de desenvolvimento, não tem dado conta de levar concretamente o desenvolvimento sustentável por diversos fatores que não justificam a não aplicação do modelo sustentável. Justificam- se dizendo que financeira e capitalmente o investimento não é lucrativo, ou mesmo por questão de conveniência das empresas, pois sempre estão visando o lucro, não importando se a obtenção deste respeite ou não a natureza.

A ideia de implementação do desenvolvimento sustentável em caráter industrial é muito bela, mas infelizmente não é o que basta pra se fazer acontecer, pois em nosso país, ainda não se pode agregar este modelo de desenvolvimento enquanto a sociedade industrial e por consequencia, os próprios cidadãos enquanto não houver interesse de mudança de concepções e pelo menos ter a consciência de que é possível gerar renda, lucro, ajudar comunidades engajadas desde que o meio ambiente seja respeitado.

Deixe um comentário »

A biodiversidade aponta o culpado

Pesquisa inglesa conclui que um quinto das espécies de plantas do mundo está ameaçado de extinção. E que o grande responsável é o homem.

Um estudo de cinco anos conduzido por pesquisadores do Jardim Botânico Real, na Inglaterra, concluiu que mais de um quinto das espécies de plantas do mundo estão hoje sob ameaça de extinção. O anúncio, fruto do mais completo relatório já elaborado sobre o tema, acontece às vésperas do encontro da ONU sobre biodiversidade, em Nagoya, no Japão.

Para a pesquisa foram usados os arquivos do Jardim Botânico e do Museu de História Natural de Londres, que juntos reúnem cerca de 13 milhões de espécies, e dados da organização União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

Os resultados apontam a atividade humana – entre elas, agricultura e desmatamentos – como sendo a principal causa de ameaças a mais de 380 mil espécies do mundo, com impressionantes 81%, contra 19% de responsabilidade de causas ditas naturais. Florestas tropicais estão no topo das mais ameaçadas.

“Estas conclusões reforçam a necessidade de tomarmos ações urgentes para acabar com desmatamentos até 2020, não apenas por causa da biodiversidade da flora, mas também por conta das mudanças climáticas”, diz Christoph Thies, coordenador da Campanha de Florestas.

“No mundo, a cada dois segundos, uma área de florestas do tamanho de um campo de futebol desaparece. O desmatamento é a causa de um quinto das emissões de gases de efeito estufa globais, mais do que todos os carros, aviões e trens do mundo somados”, complementa Thies.

Representantes de 193 países estarão reunidos em Nagoya para a 10ª Conferência das Partes da Organização das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica. O objetivo é o de chegar a metas comuns de redução das perdas.

Fonte: greenpeace.org

Deixe um comentário »